Arnaldo V. Carvalho

 

Anhan, você já leu e ouviu em mil lugares: sexo na gravidez vale, rola, e pode ser maravilhoso, amém! Depois que o casal (especialmente o homem) dissolveu todas as fantasias e medos, ficou mais fácil. “Quase sempre”. Aí vem o “detalhe Z” para avisar pela boca de um do casal: “tá, mas minha libido mudou”.

 

Surgiu uma questão durante a gravidez que, em perspectiva, se repetirá ao longo da vida do casal. Há momentos. Esses momentos, muitas vezes, estão relacionados à mudanças corporais, ao hiperestranhamento ou ao hiperprevisibilidade do corpo e do jeito do outro. A libido não costuma gostar muito nem de uma coisa nem de outra (embora para alguns, seja ao contrário, nos dois polos!). Que não fique dúvidas, as transformações do corpo da gestante fazem parte da situação de “hiperestranhamento”. O “susto” do corpo diferente a cada dia pode inclusive levar o casal (ou um dos dois) a “fugir” do sexo inconscientemente! A situação do estranhamento é reforçado pela falta de referências pregressas que associam vida a dois sexualmente ativa com gestação. É isso aí: por mais que seja um “segredinho de intimidade” (evitarei taxar de tabu, trava, bloqueio, questão coletiva) a vida sexual é vista nos casais por aí, e é insinuada, em revistas, em novelas, filmes, etc. Lá está o casal sensual, lá estão os dois se beijando, se tocando, lá estão os dois nus! Agora tente se lembrar de ter visto cenas com esse “clima” com um casal “grávido”. Não tem! E casal, jovem, sem referências que apoiem suas incursões experienciais, tem que partir do zero, tem que descobrir algo “no escuro”, absolutamente por eles mesmos. Esse é o “detalhe Z” mexendo com tudo.

 

Aí vem as ofertas de “distração”, que tornam o “tormento da inadequação sexual da gestação” mais ameno. Lá vem o mundo eletrônico, com seus games e redes e assuntos, lá vem as possibilidades infinitas de acesso à filmes, séries, e revistas e mil etecéteras… Nessa hora, é fácil lembrar daquela provocativa (e preconceituosa) que tantas vezes é feita aos casais com muitos filhos: “tem TV em casa não?”. Tem, tem sim. E pode ser pura fuga. E quanto mais se “foge” do sexo, suas possibilidades e prazeres – por causa do “detalhe Z! – mais o casal perde uma oportunidade tão preciosa de viver sua intimidade e reforçar os laços que serão tão especiais para os desafios que a chegada d@ filh@ trará.

 

Mas não fica aí. Excluindo-se essa competição esquisita com as “ofertas do mundo”, o sexo na gravidez compete com outras atenções, outros focos, esses sim naturais: a construção do ninho e todos os seus detalhes (trabalhar mais para acumular renda, arrumar o quartinho, chá de fraldas…); as incríveis transformações corporais; e a presença mágica do bebê na barriga. É muita energia para gastar, muita situação para desviar a atenção.

 

Então nós poderíamos dizer que é natural que a dedicação à sexualidade fique um pouco mais dividida com outras tantas atividades. Mas não se pode no meio disso negligenciar o “detalhe Z”. Como se enfrenta o “detalhe Z”? Há quem recomende pornografia com mulheres gestantes! Aqui vamos por outro caminho. É tempo de buscar a sensualidade e a atração no próprio casal. É tempo de olhar mais, tocar mais, dançar mais, cheirar mais. Sessões de fotos do casal gestante se olhando, um tirar foto do outro buscando ângulos de beleza e sensualidade;  abusar do contato de pele com auxílio de aromaterapia e de banhos terapêuticos… Há muitas estratégias para reativar caminhos de ligação e criarem-se outros, reempoderando o contato íntimo. Essas só algumas dicas preliminares.

 

Em nosso encontro Parapapais conversaremos sobre como enfrentar o “detalhe Z” para tornar a vida sexo-afetiva maravilhosa por toda a gestação!

 

Abraços, Arnaldo

 

* Arnaldo V. Carvalho é um psicoterapeuta corporal e naturopata, militante do cenário do nascimento e da saúde primal (da concepção ao primeiro ano de vida do bebê), e estará vindo do Rio de Janeiro para ensinar técnicas terapêuticas para profissionais da área, no Laço Materno.

 

 

O professor e terapeuta carioca Arnaldo V. Carvalho, militante do cenário que envolve o nascimento, virá ao Laço Materno nos dias 14 e 15 de abril de 2018 ensinar técnicas especiais de cuidado com a mãe-bebê durante todas as suas fases, inclusive no trabalho de parto e pós-parto.

O Laço Materno estará publicando, em primeira mão, uma série de artigos inéditos, Ensaios do Nascimento. Eles abordarão tópicos importantes sobre o tema, ajudarão os profissionais de saúde da área e as mães grávidas a estarem um passo à frente em seus cuidados e empoderamentos e poderão ser aprofundados na vinda do professor.

Acompanhe aqui todos os textos da série “Ensaios do Nascimento” do professor Arnaldo V. Carvalho.

Ensaios do Nascimento – Textos inéditos sobre o gestação, parto e pós parto: Arnaldo V. Carvalho escreve para o público do Laço Materno

Ensaios do Nascimento 1 – Contatos Imediatos: os contatos que o bebê no útero tem com o mundo exterior e seus impactos na vida

Ensaios do Nascimento 2 – Lugar de homem no parto é onde?

Ensaios do Nascimento 3 – As intervenções terapêuticas na gravidez e seus impactos no empoderamento da mulher

Ensaios do Nascimento 4 – Sexo e gravidez: o “detalhe Z”

Ensaios do Nascimento 5 – Gravidez, enjoos e a saúde placentária

Ensaios do Nascimento 6- O trabalho de parto e o manejo natural das circunstâncias

Ensaios do Nascimento 7 – Preparação para um pós-parto sem sustos

Ensaios do Nascimento 8 – Gravidez e Naturopatia

Ensaios do Nascimento 9 – O pensamento terapêutico oriental e a gravidez

Ensaios do Nascimento 10 – Ervas, aromas e alimentação na gravidez

Ensaios do Nascimento 11 – A gravidez da transcendência pessoal

Arnaldo V. Carvalho Therapies for a New Conscience www.arnaldovcarvalho.com +55 21 99246-5999