Muito se fala a respeito do parto humanizado, mas poucas pessoas sabem que é possível se ter uma cesárea humanizada, com boas práticas ou respeitosa, afinal os bebês que nascem por essa via também merecem uma chegada respeitosa. O termo “cesariana humanizada” gera grande polêmica, acho uma discussão justa e necessária, mas este vai ser assunto para um próximo post. Por hora fico com a terminologia cesariana respeitosa.

A cesariana respeitosa se trata de diminuir ao máximo os impactos traumáticos que a mãe ou o bebê podem sentir durante e após a cirurgia. Detalhes como o tom de voz e assuntos conversados durante a cirurgia são meios simples, mas que exigem um mínimo de bom senso da equipe. Assuntos como o jogo de futebol do final de semana ou as últimas dicas de moda podem esperar para um momento mais propício. Parece coisa boba, mas coisas desse tipo ainda acontecem rotineiramente Brasil a fora.

Fora esses detalhes, teoricamente óbvios, existem outras medidas que podem ser tomadas para tornar a cirurgia mais leve e prazerosa para a mãe e o bebê. Alguns médicos em específico têm nos encantado com seus esforços para tornar deste um momento mais do que especial para a família.

Veja abaixo a demonstração de como uma cesariana respeitosa pode ocorrer, caso não haja uma situação emergencial onde o bebê precisa receber cuidados imediatos. Este vídeo foi dirigido pelo Dr Ricardo Gomes, chefe da unidade materno infantil do Hospital Universitário Maria Pedrossian (HUMAP) em Campo Grande – MS, com a intenção de difundir as boas práticas durante uma cesariana. O HUMAP é referência em humanização aqui na região e ultimamente a procura por mulheres que querem parir lá vem aumentando significativamente, pois sabem que as chances de serem respeitadas lá é muito maior do que qualquer outro hospital que tenham acesso.

 

Autora: Carla Rodrigues